sábado, junho 04, 2022

No som do silêncio


Ângela Felipe


No som do silêncio

a claridade da manhã

como um cântico

a inebriar-me os sentidos

passadas as sombras

que anuviavam meus dias.

Os pássaros voejam alegres

e pousam na minha janela

o esplendor do voo

como num abraço de paz

acordando as palavras

adormecidas na noite.

Foguetes anunciam a festa

e as palavras bailam desordenadas

ao sabor do vento

desfazendo a solidão.


Texto
Ailime
04.06.2022

22 comentários:

  1. Os pássaros voejam alegres

    e pousam na minha janela

    Boa noite de sábado, querida amiga Ailime!
    Lindíssimo poetar!
    Como é lindo acordar às palavras dormidas da noite, saem tão frescas, leves, vaporosas, amiga.
    Tenha um final de semana abençoado!
    Beijinhos com carinho de gratidão e estima
    😘🕊️💙

    ResponderEliminar
  2. Maravilhoso... Amei :))
    .
    Não quero o silêncio nem a solidão...

    Beijos. Votos de um excelente fim de semana!

    ResponderEliminar
  3. Lindo demais e como é bom quando pássaros cantando quebram o silêncio! Adorei tua poesia! beijos, chica

    ResponderEliminar
  4. Gosto desse silêncio da madrugada...
    Metáforas e imagens muito belas.
    Agradeço os bons momentos de leitura.
    Um domingo feliz. Abraço
    ~~~~~

    ResponderEliminar
  5. Os pássaros. Tal como os oiço agora. Lá foram conversam uns
    com os outros. O que dirão? Talvez que ainda têm algumas
    árvores por onde voar e confraternizar.
    "Ao som do silêncio". Por vezes o silêncio é de ouro.
    Permite-nos ouvir, escutar.
    Bom domingo, amiga Ailime.
    Beijos
    Olinda

    ResponderEliminar
  6. ... "Como num abraço de paz!" A cada manhã vêm sons e palavras novos, precisamos discernir e avançar para o lindo alvo.
    Muito bonitos os seus versos, querida Ailime. Expressar palavras traz voos e bênçãos que se multiplicam e se dividem lindamente.
    Bom domingo. Bjs

    ResponderEliminar
  7. Um excelente poema.
    Cada dia gosto mais dos seus poemas.
    Nunca pensou publicar um livro? Eu comprava na hora.
    Abraço, saúde e bom domingo

    ResponderEliminar
  8. Alma sensible que en versos trasmites belleza y paz
    Un abrazo

    ResponderEliminar
  9. Anónimo6/05/2022

    Este poema é belíssimo e está muito bem construído. Dos melhores que já escreveste. Transmite paz, esperança e transição para dias bons, cheios de claridade. Muitos beijinhos. Do Sérgio

    ResponderEliminar
  10. Ouvem-se os foguetes e lá se vai o silêncio...
    Excelente poema, gostei imenso.
    Boa semana, amiga Ailime.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  11. Lindíssimo. Posso ver o bailado das palavras que alegra o silêncio da madrugada. Posso sentir o voo dos pássaros como um abraço de paz... Tão belo!
    Uma boa semana com muita saúde, minha querida Amiga Ailime.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  12. Um belíssimo poema, querida Ailime.
    Transmite paz, um agoiro para dias claros...
    Um grande beijinho.
    Excelente seja a sua semana.

    ResponderEliminar
  13. Belo, Ailime! Simplesmente muito belo! Obrigado, meu abraço; boa semana!

    ResponderEliminar
  14. Que belo poema, quando há a natureza por perto, alegre e exuberante, difícil sentir solidão, adoro o silêncio, a mim traz paz!
    Uma linda semana, querida Ailime,
    beijinho.

    ResponderEliminar
  15. Gostei de reler este magnífico poema.
    Aproveito para desejar a continuação de uma boa semana, amiga Ailime.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  16. Boa tarde.
    Um poema nostálgico, mas se a solidão foi desfeita, ficou algo.
    Continuação de uma semana tranquila.
    Um beijo
    :)
    http://olharemtonsdemaresia.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  17. Olá Ailime!
    De volta ao nosso convívio, já com a visão em melhor estado. Agradeço, a sua solidariedade e carinho manifestados meu cantinho, que muito apreciei.

    Excelente poema, onde a natureza enfeita tão belas palavras.
    Gostei muito.

    Votos de um feliz fim de semana.
    Beijinhos!

    Mário Margaride

    http://poesiaaquiesta.blogspot.com

    ResponderEliminar
  18. Aprender a escuchar los sonidos del silencio es un verdadero arte que nos nutre y nos llena de amor por dentro. Muy bonito poema!!!! Un abrazo y feliz fin de semana

    ResponderEliminar

«Sou como você me vê.
Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania,
Depende de quando e como você me vê passar».C.L.