terça-feira, outubro 12, 2021

Tão longe as manhãs

 
Juan Francisco Gonzalez


Tão longe as manhãs na casa onde às vezes regresso.

Tudo parece estar no mesmo sítio.

O rio corre sereno lá em baixo,

mas não me deixa ver as margens

onde outrora os seixos brilhavam ao sol

e eu saltitava em redor do moinho.

Tudo tinha maior amplitude.

A lezíria era  uma sinfonia de cores,

as águas eram mais verdes e as nuvens mais azuis.

Os pássaros cantavam mais alto.

Os teus pés pisavam o chão com leveza.

No resplendor da manhã, cada vez mais longe,

debruço o meu olhar e cismo.


Texto
Ailime
12.10.2021



26 comentários:

  1. Boa tarde de muita paz, querida amiga Ailime!
    E na sua cisma resultou mais um belíssimo poema onde o leitor sensível se extasia com tanta beleza que lhe carateriza em seus escritos delicados e sóbrios, nã menos intensos e reflexivos.
    Parabéns, minha querida amiga do coração!
    Beijinhos com carinho de gratidão e estima

    ResponderEliminar
  2. Linda tela escolheste pra voltar ao lugar onde regressas em pensamento,parecendo tiudo tão igual...LINDO! bjs, chica

    ResponderEliminar
  3. Uma bela pintura para ilustrar este belo texto de que gostei.
    Um abraço e continuação de uma boa semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    Livros-Autografados

    ResponderEliminar
  4. Olá, Ailime, ao ler esse seu belo poema, "Tão longe as manhãs", seu conteúdo levou-me aos tempos da infância e juventude, quando me lembrava da casa onde morava, a beira de um rio, e que tudo parecia muito maior, por isso ter gostado mais ainda deste poema. Bravo!
    Uma ótima semana,
    beijo

    ResponderEliminar
  5. Deslumbrante, lindíssimo de ler.
    .
    Cumprimentos poéticos.
    .
    Pensamentos e Devaneios Poéticos
    .

    ResponderEliminar
  6. Que lindo poema sobre aquela manhã já distante mas que vive guardada no teu coração. Que esses fios de memória continuem a correr nas páginas do teu blog, que é sempre tão bom ler! Bj

    ResponderEliminar
  7. Olá, Ailime!
    Recordar momentos e lugares onde fomos felizes, são a mais belas lembranças, que jamais esquecemos.
    Lindo poema!
    Gostei muito.

    Beijinhos e continuação de ótima semana.

    Mário Margaride

    http://poesiaaquiesta.blogspot.com

    ResponderEliminar
  8. Voltar à infância à espera de encontrar a inocência do olhar. Apetece ficar nesse lugar de espanto, mas a vida não permite. Que belo poema, minha querida Amiga!
    Cuida-te bem.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  9. Divinas...pintura e poesia...
    Ahhhh tempos idos, os trazemos sempre... no coração.
    Amei ler, querida, beijinhos e continuação de boa semana
    Valéria

    ResponderEliminar
  10. Muito belo, Ailime, muito belo!
    Abraço grande.
    ~~~~

    ResponderEliminar
  11. Não vale a pena cismar...
    Mas o poema é belíssimo, gostei muito.
    Continuação de boa semana, querida amiga Ailime.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  12. Também gosto e se cismar que seja por algo bom!!! Bj

    ResponderEliminar
  13. Lindíssimo! A dor da saudade de um tempo mais que feliz!

    Beijinhos, amiga Aline, e bom fim-de-semana!

    ResponderEliminar
  14. Olá, Ailime!
    Passando por aqui, relendo este lindo poema que muito apreciei, e desejar um Feliz fim de semana com muita saúde.
    Beijinhos!

    Mário Margaride

    http://poesiaaquiesta.blogspot.com

    ResponderEliminar
  15. Um belíssimo poema, que nos leva aquele lugar incomparável, onde moram as boas memórias de infância... quando tudo era mais especial e intenso!...
    Adorei!!! Beijinhos! Desejando-lhe um feliz fim de semana, com saúde e tranquilidade!...
    Ana
    Ana

    ResponderEliminar
  16. Um lindo poema do saudosismo, das lembranças boas e eternas, que nos assediam e viram poesia e bela.
    Gostei de mentalizar esta sítio onde os pássaros cantavam alto, o rio corria seus peixes, tudo no fundo do quintal.
    Lindo momento da poesia Ailime.
    Beijo

    ResponderEliminar
  17. Um belo e saudosos poema.
    Abraço, saúde e boa semana

    ResponderEliminar
  18. Olá, Ailime.
    Passando por aqui, agradecendo a visita e gentil comentário, e desejar uma boa semana!
    Beijinhos!

    Mário Margaride

    http://poesiaaquiesta.blogspot.com

    ResponderEliminar
  19. As memórias que o tempo não apaga.
    Muito belo essas recordações.
    Boa semana.
    Beijinhos
    :)
    http://olharemtonsdemaresia.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  20. Recordações que enchem a alma de nostalgia, mas
    também de alegria pelo tempo vivido.
    Desejo-lhe uma boa semana.
    Beijinhos
    Olinda

    ResponderEliminar
  21. Entranha-se o teu cismar. Gosto.
    Um beijo, Allime amiga.

    ResponderEliminar
  22. Belo, sim; muito belo! As tuas palavras nos falam, aos ouvidos do coração, a canção que nos sugere a bela imagem! Meu abraço, amiga; boa semana.

    ResponderEliminar
  23. Linda poesias de memórias que trazem saudades. Amei a tela. Bjs
    Se fores ao meu blog e tiver problemas me escreva por e-mail, Estou tendo algum tipo de problema. Grata bjs

    ResponderEliminar
  24. Muito lindo!
    Nosso passado, da maneira que recordarmos dele, estará sempre junto a nós,
    e da maneira que foi. Ás vezes se mostra mais forte do que o presente.
    Aplausos, Ailime!
    Beijinho, uma boa semana!

    ResponderEliminar

«Sou como você me vê.
Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania,
Depende de quando e como você me vê passar».C.L.