terça-feira, maio 21, 2019

Vão longos os dias



Vão longos os dias e o pôr do sol alarga-se 
naquele horizonte matizado de púrpura 
em que fitamos o olhar nublado de silêncio 
com os pássaros a esvoaçarem, testemunhas 
de um tempo que nos desconcerta. 

Passeamos sós de mãos dadas 
como se hoje fosse ontem no teu olhar 
as manhãs são mais claras, mais límpidas 
quando pisamos chãos improváveis 
mesmo que as sombras nos tinjam a noite. 

Talvez que, furtivamente, ainda enxerguemos o mundo 
embriagados pela luz que emana do inverno. 


 Texto
Ailime
21.05.2019 
Imagem Google




15 comentários:

  1. Um lindo poema que passa uma vibração de doce ternura.
    Um abraço.
    Élys.

    ResponderEliminar
  2. Boa Tardinha Serena, querida amiga Ailime!
    Que belo o tempo que nos desconcerta desmedidamente e invade nossa alma com encantamento!
    Cada dia mais linda sua poesia.
    Tenha dias abencoados!
    Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

    ResponderEliminar
  3. Tua inspiração é maravilhosa e expressas bons sentimentos!Adoro ler! beijos, chica

    ResponderEliminar
  4. Lindo de se ler e belo olhar... Bj

    ResponderEliminar
  5. Um canto muito bonito... Expressa as maravilhas e expectativas da alma anelante...
    Beijinhos nesta quarta-feira...

    ResponderEliminar
  6. Com tanta beleza, os meus olhos acendem-se de fragilidade. Sim, minha querida Amiga Ailime "as manhãs são mais claras, mais límpidas
    quando pisamos chãos improváveis"
    Um beijo enorme.

    ResponderEliminar
  7. Muito bonito Ailime.
    Gostei mesmo.
    Abraço

    ResponderEliminar
  8. Lindíssimo!
    O ocaso da vida tem o seu encanto, a sua beleza, embora tantas vezes a sombra de outrora.
    Nunca desistir.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  9. Os chãos não são mesmo nada iguais... e os melhores são onde "as manhãs são mais claras"...
    Gostei imenso deste poema, é excelente. Parabéns pela inspiração.
    Ailime, um bom fim de semana.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  10. Que beleza, tocante, nostálgico, com um quê de saudades, gostei muito. bjos

    ResponderEliminar
  11. "as manhãs são mais claras, mais límpidas
    quando pisamos chãos improváveis ..."

    tão bonitos estes versos! amei o poema

    beijo, minha amiga

    ResponderEliminar
  12. Belo, Ailime! Existe uma meiguice imensa em "enxergar o mundo embriagados pela luz que emana do inverno." ! Boa semana, amiga; fique bem!

    ResponderEliminar
  13. Lindo, ternurento! Adorei a imagem.
    Bjs

    ResponderEliminar
  14. Um encantador momento poético, imbuído de romantismo e perseverança... em que de mãos dadas... se torna mais fácil, fintar as sombras, os silêncios e as invernias da vida...
    Adorei ler, Ailime! Beijinhos! Bom fim de semana!
    Ana

    ResponderEliminar

«Sou como você me vê.
Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania,
Depende de quando e como você me vê passar».C.L.