quarta-feira, novembro 24, 2021

Ah se eu pudesse

 

Van Gogh


Ah se eu pudesse dissipar as palavras numa gota de chuva,
As vozes trazidas por vendavais inusitados
Soariam a campos ondeados de trigais maduros
Num apoteótico bailado de metamorfoses.

E correria livremente pelas madrugadas
Envolta em primaveras multicolores
Na procura incessante de um anúncio
Que te abraçasse o futuro.


Ailime
11.01.2013
(Reposição)

20 comentários:

  1. E, assim, de forma simples se escreve sublime poesia. Gostei muito de ler.
    .
    Abraço e/ou beijinho.
    .
    Pensamentos e Devaneios Poéticos
    .

    ResponderEliminar
  2. Você escreve com uma intensidade que me encanta, Ailime!!! Aplausos, amiga!!!
    Beijinhos e continuação de uma feliz semana
    Valéria

    ResponderEliminar
  3. Lindo desejo,Ailime!Adorei ler! beijos, chica

    ResponderEliminar
  4. Lindo de se ler e bela pintura a que escolheu!!! Bj

    ResponderEliminar
  5. Muito belo, querida amiga.

    Beijinhos
    ~~~~

    ResponderEliminar
  6. A tela é lindíssima, tal como o poema! :)
    -
    Existem silêncios que atropelam ...
    -
    Beijo e uma excelente noite :)

    ResponderEliminar
  7. Belissimo poema! Onde o lirismo flutua suavemente, por cada estrofe.
    Parabéns!

    Continuação de feliz semana, amiga Ailime.
    Beijinhos!

    Mário Margaride

    http://poesiaaquiesta.blogspot.com

    ResponderEliminar
  8. Lindo!!!
    Gosto imenso da tua maneira de dizer, da tua poesia!
    Adoro Van Gogh!
    Um bom restinho de semana, amiga!
    beijinho, cuide-se.

    ResponderEliminar
  9. Bom dia de serenidade, querida amiga Ailime!
    A começar pela tela enredando pela poética divinal, passar por aqui é puro deleite.
    Tenha dias abençoados!
    Beijinhos carinhosos de gratidão e estima

    ResponderEliminar
  10. E quem pode escreve poema magníficos como este.
    Gostei muito, os meus aplausos pelo talento que as suas palavras revelam.
    Continuação de boa semana, amiga Ailime.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  11. Uma procura apoteótica do sentido da vida, do futuro, sede de liberdade. Somos livres mas há sempre o “ah, se eu pudesse”. Vivemos presos e nem sabemos bem porquê. Talvez a poesia seja a chave que nos liberta, levando-nos a voar e correr dentro e fora de nós mesmos. E sim, podes, podes, podes! Por favor, publica um livro. Isto já é bom demais!!!!!!!

    ResponderEliminar
  12. Olá Ailime!
    Passando por aqui, relendo este lindo poema que muito apreciei, e desejar um Feliz fim de semana com muita saúde.
    Beijinhos!

    Mário Margaride

    http://poesiaaquiesta.blogspot.com

    ResponderEliminar
  13. Que belo, Ailime.
    Abraço, saúde e boa semana

    ResponderEliminar
  14. Belíssimo poema com esta bela tela do Van.
    O encantamento inspira sonhos e desejos, que vamos coletando pela vida.
    Canto maravilhoso Ailime.
    Bjo

    ResponderEliminar
  15. As tuas palavras correm livremente pelas madrugadas e por todos os instantes do dia, porque nos chegam ao coração. Tão belo, minha querida Ailime!
    Continua a cuidar-te bem.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  16. Ah, amiga, se eu pudesse ter esse dom que tens para as palavras e a poesia! Lindo post, Ailime! Meu abraço, boa semana.

    ResponderEliminar
  17. Olá, Ailime!
    Passando por aqui, relendo este excelente poema que muito apreciei, e desejar uma excelente semana, com muita saúde.
    Beijinhos!

    Mário Margaride

    http://poesiaaquiesta.blogspot.com

    ResponderEliminar
  18. Lindo desejo poético e o último refrão então. Um estouro de palavras lindo poema. Parabéns. Bjs querida

    ResponderEliminar
  19. Lindo poema! Palavras que brotaram do mais fundo do seu coração. Desejos, anelos de mais, infinitamente mais...
    Bjs

    ResponderEliminar

«Sou como você me vê.
Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania,
Depende de quando e como você me vê passar».C.L.