quinta-feira, julho 13, 2017

Um silêncio, uma pausa


Um silêncio, uma pausa
e um rio que emana
mananciais de deserto
libertando orvalhos,
que se transmutam
em oásis de escuta.

O vento cálido
sopra nas dunas
os ecos insondáveis
dos enigmas
que a terra gera.

Ailime (reposição)
Imagem Google
(Estarei ausente da Net durante algum tempo.
Até breve).

7 comentários:

  1. BELA POESIA E BOM DESCANSO,AILIME! BJS, CHICA

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  3. Lindo, mais uma vez! Bom fim de semana, minha amiga; e que logo estejas de volta, trazendo-nos os teus belos poemas!

    ResponderEliminar
  4. Um lindo poema.
    Boas férias.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  5. Um silêncio. Uma pausa. Porque a vida não é um jogo. Porque viver cansa.
    Bom descanso, minha Amiga.
    Um beijo.

    ResponderEliminar

«Sou como você me vê.
Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania,
Depende de quando e como você me vê passar».C.L.