segunda-feira, agosto 25, 2014

Nem sempre as palavras



Nem sempre as palavras esboçam um poema exemplar
Nem sempre os olhos se abrem à luz
E deixam que as mãos deslizem o pensamento
No papel amarelecido pela ausência do que te queima a alma

Nem sempre o mar te envolve em maresia
Nem sempre a chuva te afaga o rosto açoitado pelo vento
Nem sempre os relâmpagos te fulminam na noite
Que te arrasta pela calçada agreste desprovida de árvores

Não imagines sequer que o teu poema tem que conter alguma mensagem
Não, tu és imperfeita no que ainda não fizeste
E não tens que ser perfeita naquilo que desconheces!
O que é a perfeição?

Deixa que a vida te ofereça a luz e abre a janela

Deixa simplesmente que ela te atenue a penumbra.


Ailime

25.08.2014
Imagem Google

14 comentários:

  1. Hum, texto profundíssimo, Ailime!
    Você sempre fala e silencia com o coração vibrante... Daí surgem palavras que não são vazias, mas sim com valioso conteúdo...
    Imagem forte e combinando muito bem com os versos deixados...

    Beijos

    ResponderEliminar
  2. Maravilha! nem sempre mesmo.Mas aqui, te ler, sempre é sinônimo de qualidade ! Adorei! bjs, chica

    ResponderEliminar
  3. Que poema maravilhoso, com palavras tão verdadeiras!
    Te ler é sempre uma prazer!
    Beijos Ailime e uma bela noite!
    Mariangela


















    ResponderEliminar
  4. Nem sempre, Ailime... mas talvez baste que estejamos sempre prontos para sentir a Vida. Belo texto, amiga, e bela imagem! Boa semana.

    ResponderEliminar
  5. nem sempre mesmo Ailime... mas se nos dispusermos a abrir a janela a vida tem muito a nos oferecer.
    Profunda reflexão nos belos versos do teu poema amiga
    Beijos

    ResponderEliminar
  6. Excelente abrir de portas e janelas escancaradas

    ResponderEliminar
  7. Maravilhosa a sua escrita, mostra que nem sempre tudo é possível, mas ao abrirmos a nossa alma para o bem, as janelas com certeza nos mostrará o Sol, a Luz De Deus e tantas alegrias.

    Este teu poema é uma virtude, vale pensar e refletir sobre o mesmo. Deixo aqui um abraço e um final de tarde cheia de janelas abertas com a luz divina.

    Vou linkar seu blog, gostei muito.
    Beijos

    ResponderEliminar
  8. Voltei pra dizer que desvendaste,sim! E é assim mesmo! Quem chega primeiro, adivinha. Dias mais fáceis, dias menos, mas o que vale é a participação que agradeço e as flores que serão entregues! bjs, chica e lindo dia!

    ResponderEliminar
  9. Nem sempre os dias têm a claridade que esperamos... Mas tentamos viver cada dia como é...
    Gostei muito do poema.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  10. Mais um final de semana.
    Nesse postei um pouco de mim
    para você começar a me entender .
    E quem sabe você também a partir
    de hoje me veja com mais amor.
    Uma vez por semana minha postagem
    vai falar sobre mim.
    È necessário falar um pouco de mim,
    e acima de tudo acreditar na presença de
    Deus na sua vida,
    quando os caminhos se confundem é necessário voltar,
    começar a vida tudo de novo independente da nossa idade.
    Que , Deus te cubra de benção
    principalmente de onde tudo parou.
    Um abençoado final de semana.
    Aceite o carinho que hoje te dou
    beijos na sua alma linda.
    E muita paz no seu coração sua afilhada,
    Evanir..

    ResponderEliminar
  11. Passei por aqui e, sinceramente, aprecei tudo o que vi e li; confesso que fui atraído por suas belas criações poéticas, tanto que já estou seguindo. Dê-me a honra e vá me visitar; espero você por lá.
    Abraço e boa semana.

    ResponderEliminar
  12. Ailime, acertaste a Beth e deste ótima dica quanto as 4 letrinhas!!! bjs, tudo de bom,obrigadão! chica( não sei se estarei por aqui, pra ver as participações, mas volto à tarde.Tomara dê tempo antes de sair!1 Tenho que ir ver minha mãe!) bjs

    ResponderEliminar
  13. Mas que lindeza é essa poesia, Ailime! Linda, muito linda, concisa! Nem sempre acontece tudo sempre igual,senão que graça teria? Um abração!

    ResponderEliminar
  14. Aguardo o próximo texto, Ailime; boa semana, amiga!

    ResponderEliminar

«Sou como você me vê.
Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania,
Depende de quando e como você me vê passar».C.L.