terça-feira, julho 20, 2010

«Por muito tempo achei que a ausência é falta.»


«Por muito tempo achei que a ausência é falta.
E lastimava, ignorante, a falta.
Hoje não a lastimo.
Não há falta na ausência.
A ausência é um estar em mim.
E
sinto-a, branca, tão pegada, aconchegada nos meus braços,
que rio e danço e invento exclamações alegres,
porque a ausência, essa ausência assimilada,
ninguém a rouba mais de mim».

Carlos Drummond de Andrade
Imagem cedida gentilmente pela Net
Ailime
20.07.2010

5 comentários:

  1. Boa Amiga,
    Essas férias "voaram"...mas gostei de voltar a vê-la por aqui, com mais uma excelente escolha.
    Um bom regresso, com muito carinho lhe desejamos.
    Forte abraço
    Mer e família

    ResponderEliminar
  2. Que lindo
    E que saudades suas
    A ausência não é porque o coração está sempre presente.
    Beijinhos da Utilia

    ResponderEliminar
  3. Ailime:
    Carlos Drummond de Andrade tem razão.
    A Luz A Sombra

    ResponderEliminar
  4. Alime,amiga a tanto tempo que não aparecia que pensei que tivesse acontecido algo,mas esta tudo bem?espero .Beijo grande xauuuuuuuuuuuu

    ResponderEliminar
  5. Ausentarmo-nos, é por vezes encontrarmo-nos. Connosco, com a vida e até com quem nos rodeia.
    Obrigado Ailime por tão bonita escolha

    ResponderEliminar

«Sou como você me vê.
Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania,
Depende de quando e como você me vê passar».C.L.