sábado, julho 24, 2010

Procura


De esperança teço os meus dias
Na ânsia de afastar todos os prantos
Que me assolam e perturbam
E caminharei sem me deter até ao infinito
Para encontrar na transparência do universo
As sombras luminosas das manhãs

 Ailime
24.07.2010
Imagem cedida gentilmente pela Net

8 comentários:

  1. Amiga Ailime,
    Lindo este poste.
    Um afectuoso abraço muito apertadinho.
    Deus fique connosco sempre.
    Bjs. e mimos nossos muito sinceros.
    Mer
    PS:"roubei-lhe uma foto....rsrsrs".

    ResponderEliminar
  2. è a esperança, são os sonhos que comandam a vida, como no poema da pedra filosofal,porque vivemos no mundo de Maya das ilusões, precisamos de algo para encontrar a transparência.

    Adoro as minhas gatinhas, sabes que elas são muito como nós,individuais, se querem mimos chega-se a nós se não vão paro o canto delas, a maior ralação são os pelos temos de andar sempre a aspirar mas de resto são uma grande companhia e não dão trabalho, experimenta vais gostar
    beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Ailaime
    É isso, a Esperança sempre
    Linda menssagem obrigada e beijinhos
    Utilia

    ResponderEliminar
  4. Amiga,

    lindo. Com esperança e amor no coração!

    beijinhos,

    Gisele

    ResponderEliminar
  5. O seu poema é conciso

    e muito bonito!

    Saaudações poéticas

    ResponderEliminar
  6. Um poema sentido...
    Beijo

    PS: Obrigado pela visita.

    ResponderEliminar
  7. Que a esperança seja o nosso despertar de cada manhã. Abraço em Cristo amiga

    ResponderEliminar
  8. Querida amiga

    Hoje estou passando para agradecer
    a sua amizade.
    Amizade que torna a vida preciosa.
    Que enche de cores as minhas palavras.
    Que me faz ainda mais feliz,
    com o afeto distribuído
    a cada visita,
    a cada comentário
    e a cada palavra escrita
    no livro dos meus dias.

    Sua amizade me faz melhor.

    ResponderEliminar

«Sou como você me vê.
Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania,
Depende de quando e como você me vê passar».C.L.