segunda-feira, dezembro 17, 2018

Retenho as palavras


Retenho as palavras com o olhar
e desfio-as como finos fios de seda
a resvalar dos casulos
protegidos pelas teias
do orvalho da noite.
Resguardo-as em silêncio
como se não me pertencessem.
Não quero que os rumores sombrios
as maculem na transparência da luz.



Texto
Ailime
Reposição
Imagem Google

10 comentários:

  1. Mais uma vez um belo poema.
    Abraço e uma boa semana

    ResponderEliminar
  2. Goto e inspiração de aplaudir! Bjs chica

    ResponderEliminar
  3. Excelente combinação!! AMEI!

    Protagonista em tempo presente.
    Beijos e uma excelente semana

    ResponderEliminar
  4. Magnífico, amei!
    Abraços!

    ResponderEliminar
  5. Há palavras que precisam de ser assim protegidas.
    Gostei!
    Bjo

    ResponderEliminar
  6. Releio saboreando cada verso/reposição...
    Há tempo que é sábio guardar as palavras no coração... Assim como Maria!...
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  7. As palavras, essenciais, imprescindíveis ao poeta...
    Muito belo, querida Amiga.
    Beijinho
    ~~~~

    ResponderEliminar
  8. Proteger as palavras como só quem as ama pode fazer…
    Magnífico poema, minha querida Ailime!
    Que o teu Natal seja cheio de amor para ti e toda a tua família. Que 2019 seja um ano muito bom.
    Boas Festas!
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  9. Boa noite:- Foto e poema de uma doçura maravilhosa.
    --
    Votos de um ... FELIZ NATAL
    ..
    *** Desabafo do meu coração vadio ***

    ResponderEliminar
  10. Palavras sagradas, talvez...
    Gostei do poema, é muito bom, excelente mesmo.
    Ailime, os meus votos de um Feliz Natal, que se prolongue por todo o próximo ano.
    Beijo.

    ResponderEliminar

«Sou como você me vê.
Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania,
Depende de quando e como você me vê passar».C.L.