sábado, março 17, 2018

Contemplação


O espanto trespassa-me o olhar
quando o sol incendeia  o horizonte
e alastra sobre  o universo
o  silêncio  da tarde.

Como num espelho,
o  firmamento afaga as brumas
que povoam o meu sentir
e deixo que o paraíso
me envolva como águas,
         cristalinas,
a brotar da nascente.

Quedo-me num mutismo
contemplativo
que  me confunde e desconcerta.

Apenas uma brisa suave
me reconcilia na alma
o sentido das palavras.


Texto (Reedição)
Ailime
(29.06.2016)
Foto de Neca retirada do Blogue
Céus e Palavras de Chica

15 comentários:

  1. Olá, querida amiga Ailime!
    Junte esta coletânea de poesias belas para um futuro livro charmoso e cheio de beleza poética, querida!
    Seja muito feliz e abençoada junto aos seus amados!
    Bjm de paz e bem

    ResponderEliminar
  2. Tão lindo e tão suave, bela leitura e momento tive aqui! bjs, chica

    ResponderEliminar
  3. Palavras mais leves que as cinzas

    ResponderEliminar
  4. Perante um belo olhar ... um belíssimo sentir poético!bj

    ResponderEliminar
  5. Que poema lindo Ailime,nos transporta ao ápice desse horizonte tão belo.
    Adorei.
    Bjs e um ótimo final de domingo.
    Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
  6. Toda sensibilidade expressa em líricos e ricos versos!"O silêncio da tarde" com um arrebol violáceo ou cor de fogo é algo de muito belo que a natureza nos oferece.
    Votos de uma excelente semana.
    Bjs!

    http://blogandocoletivamente.blogspot.com.br

    http://contosdadina.blogspot.com.br

    ResponderEliminar
  7. O espanto. Aquilo que nos maravilha. Tudo o que a Natureza nos dá tão gratuitamente. A contemplação é a forma de fazer com que tudo entre dentro da alma.
    Magnífico, Ailime, minha Amiga!
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  8. Contemplativo tornei-me também, Ailime, diante da beleza da imagem e do texto! Belíssimo, amiga! Boa semana.

    ResponderEliminar
  9. pressente-se a serena diluição no silêncio da tarde
    e a breve brisa na contida agitação das palavras

    beijo

    ResponderEliminar
  10. A contemplação invade e provoca vários sentires que transmutado em palavras criam seus lindos versos. bjs

    ResponderEliminar
  11. Gostei de ler Ailime.
    Abraço

    ResponderEliminar
  12. O espanto de quem observa só existe nos que sabem olhar.
    E poemas tão bons como este só está ao alcance dos bons poetas.
    Parabéns, o poema é excelente.
    Bom fim de semana, amiga Ailime.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  13. Foto e reedição belas!!!
    Com carinho e um abraço...

    ResponderEliminar
  14. Boa semana, minha querida amiga; aguardo o próximo post!

    ResponderEliminar

«Sou como você me vê.
Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania,
Depende de quando e como você me vê passar».C.L.