sábado, março 21, 2015


Quereria ser poeta
E entender a musicalidade
Das palavras interditas
Num livro por inventar

Quereria ser poeta
E projectar no horizonte
Asas flamejantes de pássaros
Abraçando o teu olhar

Quereria ser poeta
E sentir as sílabas soltas
Como as velas dum navio
Voejando em alto mar.

Quereria ser poeta
Para albergar no poema
Desnudado de preconceitos
A lucidez do amor.

21.03.2015
Ailime
Imagem Google

12 comentários:

  1. Linda poesia,Ailime e tu, sem dúvida és poeta! Adoro te ler sempre! beijos, lindo fds! chica

    ResponderEliminar
  2. Você, Ailime, é uma super poetiza e tem o dom dos versos! Que linda essa! Meu super abraço e que você tenha uma semana feliz e muito abençoada!

    ResponderEliminar
  3. Se bem entendi, amiga, quererias ser o que já és, para escrever tão belo quanto escreves! :) Lindo post, boa semana.

    ResponderEliminar
  4. Engraçado com os poetas gostam de querer ser o que bem sabem, encantar palavras, rebuscar o sentimento colorir nossa alma.
    Isto é poeta e a eles me curvo.
    Aplausos Ailime tem o DNA dos grandes poetas da terra da poesia.
    Acordou Pessoa.

    Carinhoso abraço amiga.
    bjus

    ResponderEliminar
  5. Um belo poema, Poeta.
    Poetas nos chamamos porque repartimos as palavras boca a boca como se fossem cerejas...
    Um grande beijo.

    ResponderEliminar
  6. Bom dia Ailime.
    Minha grande amiga poeta, fique sabendo que não pode querer ser o que já é rsrs, pois os seus poemas são magníficos. Um lindo dia .
    Beijos.

    ResponderEliminar
  7. Belo!!!! Aplausos Linda poetisa que és.
    Um abraço Ailime.

    ResponderEliminar
  8. Ailime!
    Conhecemo-nos há pouco, é verdade. Mas não é preciso muito para que se sinta a empatia. E isto, porque não só tem uma poesia bela, mas porque tudo de que fala tem tanta poesia!
    Beijinho!

    ResponderEliminar
  9. Boa semana, minha amiga; aguardo o próximo post!

    ResponderEliminar
  10. Lindo o seu poema, em que dizendo que desejaria ser poeta, nos mostra que o é, ou não o soubessemos já, habituados à delícia da musicalidade da sua doce poesia. Obrigado.

    ResponderEliminar
  11. Olá, Ailime... Lindas palavras e profundas demais... A lucidez do amor! O poeta vê e sente além das medidas comuns...
    Abraços e boa noite...

    ResponderEliminar
  12. Um poema simplesmente maravilhoso.
    Gostei muito.
    xx

    ResponderEliminar

«Sou como você me vê.
Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania,
Depende de quando e como você me vê passar».C.L.