quinta-feira, junho 21, 2012

Espreitando a luz




Há em mim um sentir
Doído pela solidão
Por quem sofre o abandono
Em infortúnios ocultos.

Nas vielas estreitas e sombrias
O sal escorre pelas faces
De quem por detrás dos postigos
Aguarda o pôr do sol.

E nas soleiras das portas
Sentam-se réstias de vidas
Espreitando talvez a luz
Que lhes anuncie o futuro.

Ailime
21.06.2012
Imagem da Net

15 comentários:

  1. Há sempre uma luz, um horizonte, uma fresta ou uma soleira por onde o olhar se esgueira e inunda a alma...
    Um beijinho amiga. Lindo como sempre
    Dulce

    ResponderEliminar
  2. nunca estamos sozinhas minha amiga,quando nos acompanhamos de nós mesmas, e estamos acompanhadas pelos seres da Terra do Universo, SOMOSTODOSUM,a solidão é um estado de espirito, se soubermos ou tentarmos sair dele não deixarmos que nos envolva e arraste para o labirinto escuro da tristeza a solidão deixa de existir
    beijinhos ternos

    ResponderEliminar
  3. Amigas Dulce e Luna,
    Muito obrigada pelos vossos comentários. Hoje ao reler o que escrevi alterei duas palavras e o título, sendo que desta forma me parece que o texto está mais de acordo com o que me motivou a escrevê-lo.
    Peço-vos muita desculpa e agradeço a vossa compreensão.
    Beijinhos,
    Ailime

    ResponderEliminar
  4. O bom é essa certeza que a LUZ aparecerá sempre...LINDO!! beijos,tudo de bom,chica

    ResponderEliminar
  5. Querida amiga hoje eu vim agradecer o carinho de sua presença no meu cantinho, assim que poder virei com mais calma.
    Um abençoado fim de semana.
    Abraço amigo
    Maria Alice

    ResponderEliminar
  6. Não consigo pontuar o melhor verso, Ailime.

    A poesia é simplesmente excelente! Mas embora cada um com a sua froça e beleza, o segundo e terceiros deixaram-me parado por momentos. Nao sei se tem noçao de que continuando a escrever assim devia publicar...

    Um beijo de parabéns

    ResponderEliminar
  7. Hola he llegado a tu linda casa y con tu permiso me gustaría quedarme.
    Un saludo

    ResponderEliminar
  8. A esperança do futuro... sempre a luz que ilumina o nosso caminho. Belo texto, boa semana!

    ResponderEliminar
  9. A luz ainda que ténue indicará o caminho, depois há que haver força para levantar e segui-la. Beijinho

    ResponderEliminar
  10. Já que estás em maré de alterações, o que achas se ficasse assim:


    Há em mim um sentir
    Doído pela solidão
    Por quem sofre o abandono
    Em infortúnios ocultos.


    Talvez ficasse mais claro, mas é uma questão subjectiva...

    Em qualquer caso, gostei do teu olhar sobre os outros.
    E o poema é excelente.

    Beijo, querida amiga.

    ResponderEliminar
  11. Sempre há uma luz que ilumina o nosso caminho.

    Beijos e ótima semana!

    ResponderEliminar
  12. Olá Nilson boa noite,
    Acho óptimo:)). "Por quem sofre" faz muito mais sentido e torna na verdade mais claro o que pretendi expressar.
    Agradeço-lhe muito a sua atenção nesta preciosa ajuda. Vou de imediato alterar.
    Sempre que assim o entender estou recetiva às suas sugestões assim como dos outros amigos.
    Um beijinho para todos vós e continuação de uma boa semana.
    Ailime

    ResponderEliminar
  13. Anónimo6/27/2012

    Mas que maravilhosa poesia
    toca o coração.
    Tenha uma santa semana
    mário

    ResponderEliminar
  14. Oiee te encontrei na blogosfera..
    Adoreiii seu blog..
    Tô te seguindo.

    Me visite tbm:
    http://lidiepaulo.blogspot.com.br


    Beijocas :*
    Ótima Noite ")

    ResponderEliminar
  15. obrigada pela visita
    adorei o seu poema deixo para si...


    Lágrima

    Lágrima marota
    Cai no meu rosto
    E vai rolando...
    De mansinho...
    Por toda a cara...
    Vai saboreando...
    E vai deixando
    Um pouco de água
    Um pouco de sal...


    Sal de amargura...
    Mas que é necessário...
    E, assim vou ficando
    Com o rosto mais doce...
    Com o rosto molhado
    E vou sentindo...
    Lágrima marota.
    O teu rolar...
    E vou gostando...
    Que te sirvas de mim
    Para te acostares...
    E quando quiseres
    Podes voltar!...


    LILI LARANJO

    ResponderEliminar

«Sou como você me vê.
Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania,
Depende de quando e como você me vê passar».C.L.