terça-feira, julho 13, 2021

À medida que correm os dias




À medida que correm os dias

tento agarrá-los com o dedos,

guardá-los como luzeiros

mas o vento desvia-os pela vastidão do espaço;

fico sem norte,  de  mãos vazias

e a noite chega mais cedo.

A madrugada surge como fogo

a mostrar-me o esplendor dos dias

na nudez das planícies

que me cingem os olhos.

Nuvens esvoaçam como andorinhas.

O rio repousa nas margens

a correnteza do tempo.



Texto
Ailime
13.07.2021
Imagem Google

22 comentários:

  1. Um poema lindíssimo, devemos agarrar os dias como se todos fossem o último dia das nossas vidas.
    Porque a vida é bela, mesmo com as suas tristezas e devemos agradecer a Deus cada dia que vivemos.
    Muito bonito!
    beijinhos
    :)

    ResponderEliminar
  2. Nunca os dias nos pareceram tão tristes nem o futuro tão incerto.
    Abraço e saúde

    ResponderEliminar
  3. Boa noite de serenidade, querida amiga Ailime!
    À medida que o tempo passa, você escreve cada vez melhor e é um bálsamo em termos de tantas tribulações, amiga.
    Que o tempo nos favoreça!
    Tenha dias abençoados!
    Beijinhos carinhosos e fraternos de paz e bem

    ResponderEliminar
  4. Muito lindo tee poema! Gosto cada vez mais de tuas inspirações! beijos, chica, tudo de bom!

    ResponderEliminar
  5. Mãe! Mais um belo poema, algo melancólico, sobre a passagem do tempo. Que é rápida, sem dúvida. Agarrar os dias com os dedos é agradecer cada momento que estamos vivos. Agarras os dias qd escreves! Beijinhos!!

    ResponderEliminar
  6. Belo poema, amiga Ailime!
    O tempo, sempre envolto em mistério e incógnita. E neste que vivemos hoje...mais sentido faz essa designação.

    Feliz quarta feira!

    Beijinhos e muita saúde.

    Mário Margaride

    http://poesiaaquiesta.blogspot.com

    ResponderEliminar
  7. A correnteza do tempo a fazer das nossas vidas uma quase corrida atrás do vento... Que belo poema, minha querida Ailime! Cuida-te bem.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  8. O tempo é mesmo veloz e como é tão bom desfrutá-lo com toda garra, sem abrir mão dos privilégios do Reino de Deus. Avante...
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  9. Lindíssimos seus versos!!!
    Sinto o seu passar, de modo parecido, com um quê de urgência e nostalgia.
    Ah! O tempo quem consegue segurar? O jeito é tentar viver cada momento do melhor modo que conseguimos.
    Beijinhos,
    Valéria

    ResponderEliminar
  10. Olá, Ailime, gostei muito do seu poema, minha amiga poeta, com sensibilidade e com a inspiração em elementos da natureza.
    Parabéns!
    Uma ótima semana, com saúde e paz.
    Beijo

    ResponderEliminar
  11. Olá, Ailime.
    O tempo, o tempo...o nosso companheiro de viajem, em todos os momentos da nossa vida.

    Votos de um excelente fim de semana, com muita saúde!

    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  12. Que linda inspiração, Ailime, sobre a impiedosa marcha do tempo... cabe a nós, saber agarrar alguns momentos da melhor forma... e conservá-los na nossa memória...
    Adorei cada palavra! Beijinhos
    Ana

    ResponderEliminar
  13. Gostava de conseguir agarrar os dias e pará-los nos melhores momentos da vida...
    Magnífico poema, gostei imenso.
    Bom fim de semana, amiga Ailime.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  14. Ailime, querida, um belíssimo poema, mas você já notou que sempre estamos brigando com o tempo?
    "Vai dar tempo, não; não vai dar tempo!!"
    Tempo na verdade é uma agonia, quem será que inventou o tempo, os meses, os anos, o relógio? Tenho de dar uma olhada, eu sabia, e consegui esquecer!! Deve ser o tempo que não está ajudando...rsss
    Um bom domingo pra você!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  15. Sim, há que agarrar os dias.
    Mesmo aqueles que parecem perdidos pelo vazio da ausência, nestes tempos conturbados em que vivemos.
    Lindíssimo poema.
    Cuide-se muito, minha amiga.
    Beijinho

    ResponderEliminar
  16. Que maravilhosa inspiração Ailime.
    O tempo que passa e voa, nele todos os sentimentos vastos e vários, que belamente se poetiza.
    Lindo amiga.
    Beijo de paz.

    ResponderEliminar
  17. Olá, Ailime!
    Passando por aqui, relendo este excelente poema! E desejar uma feliz semana com muita saúde.

    Beijinhos!

    Mário Margaride

    http://poesiaaquiesta.blogspot.com

    ResponderEliminar
  18. És mestra, amiga, em expor as nossas inquietações e os nossos pensamentos, com toda a beleza da poesia! Lindo poema! Meu abraço, boa semana.

    ResponderEliminar
  19. O tempo a fugir-nos.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  20. Lindo poema. Se eu pudesse queria parar o tempo. À medida que amadurecemos e tomamos uma consciência mais clara do que é realmente viver, queremos aproveitar cada minuto . Que o tempo passe bem lentamente para todos nós que temos muitos sonhos na alma!

    ResponderEliminar

«Sou como você me vê.
Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania,
Depende de quando e como você me vê passar».C.L.