quarta-feira, maio 10, 2017

Algo me impelia


Algo me impelia naquela jornada que parecia não ter fim.
Os meus pés eram como asas que resistiam às pedras do chão térreo
e se quedavam sobre as ervas macias que ia encontrando pelo caminho.
Os meus braços, por vezes, prendiam-se nos teus quando o meu corpo parecia sucumbir ao cansaço que quase me desfalecia.
Mas a brisa fresca e perfumada pelo rosmaninho e alecrim era como um bálsamo que me sorria e inebriava como se os obstáculos não existissem.
Eu não sabia que o meu corpo se tornaria leve e que podia voar como os pássaros e sobrevoar as lezírias onde o pão crescia verde e suculento.
Eu não sabia tantas coisas que passavam por mim a esvoaçar e que eu tentava aprisionar como se uma sede de infinito invadisse todo o meu ser e me ardesse no peito, que latejava.
Eu não sabia que aquela luz era tão forte que quase me cegava de tanto brilho.
Eu não sabia, mas no horizonte, muito ao de leve, antevia a linha da meta que, crendo, eu perseguia.


Texto
Ailime
Imagem Google
10.05.2017

15 comentários:

  1. Que bom que não sucumbiste ao cansaço...A força e a luz que focavas eram mais fortes...Lindo, lindo ,lindo te ler! bjs, chica

    ResponderEliminar
  2. Um texto muito bonito! Adoei

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Um canto de vida e de vitória! Somos peregrinos que precisam da força e perseverança diárias... Ele é o nosso Sustentador e Provedor!
    Palavras bonitas, reflexos de uma bela experiência...
    Muita paz e inspirações, revelações novas!
    Bjs

    ResponderEliminar
  4. E seguir a luz e encontrá_la tem um sabor bem especial! Bj

    ResponderEliminar
  5. Um horizonte de fé e de alento. Um olhar iluminado, propício a todos os milagres da vida...
    Que belo texto, minha Amiga Ailime.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  6. texto envolvente. escrito com a alma.

    gostei muito
    beijo

    ResponderEliminar
  7. Palavras esculpidas com o seu coração
    Bjs

    ResponderEliminar
  8. O fascínio do horizonte em pegadas tão belas!
    Beijinho, Ailime

    ResponderEliminar
  9. Oi Ailime,
    Divina inspiração. Onde a fé habita, a vida resplandece como o sol.LINDO
    Um abraço minha amiga.

    ResponderEliminar
  10. Muito belo, Ailime! A poesia é tão forte em ti, que mesmo ao escreveres em prosa, ela se faz presente em cada linha! Boa semana, amiga.

    ResponderEliminar
  11. Parabéns pelo texto!!!

    Acho incrível a sensibilidade que você expressa.

    bjokas =)

    ResponderEliminar
  12. Olá, amiga Ailime!

    Vi-me nessa jornada. Texto muito bem escrito que nos convida a integrá-lo.

    Beijos

    ResponderEliminar
  13. Boa semana, minha querida amiga; aguardo o próximo post.

    ResponderEliminar
  14. Aguardando o próximo post, desejo-te uma boa semana!

    ResponderEliminar
  15. Lindo texto, o qual mostra que não devemos sucumbir diante de nenhuma situação, pois Deus está sempre presente ao nosso lado. Beijos carinhosos, Lúcia!

    ResponderEliminar

«Sou como você me vê.
Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania,
Depende de quando e como você me vê passar».C.L.