sábado, novembro 08, 2014

O barco

Tela de Maria José de Bragança

As palavras em que te invento
São como gotas de chuva
Que ao raiar da manhã
Poisam como pingos de mel
Num mar de verdes musgos
Que nos acaricia e impele
Como uma luz a sorrir
Neste barco que é tão nosso.

Texto 
Ailime
08.11.2014

17 comentários:

  1. Tua inspiração é linda. Mais um poema onde deixas o coração falar! Adorei e a tela igualmente bela! bjs, tudo de bom,chica

    ResponderEliminar
  2. ..."Neste barco que é tāo nosso."
    Poema doce, suave e brilhante... A tela illustra bem o seu canto, Ailime!

    Abrações... Bom sábado...

    ResponderEliminar
  3. As palavras respiram barcos inventados

    ResponderEliminar
  4. Um barco de partida ou de chegada a imaginar o mar e a luz. Lindo!
    Beijo, Ailime.

    ResponderEliminar
  5. Olá, querida Ailime
    No barco da vida, navegar é preciso e com algo tão pessoal fica mais gostoso de se navegar com ânimo...
    Vc tem um suave e lindo poetar!!!
    Bjm fraterno e ótimo fim de semana, amiga!

    ResponderEliminar
  6. Olá, como tem passado?
    Bonito, esse seu poema.
    Suave e expressivo!
    Bom resto de Fim de semana!

    Beijinho!

    ResponderEliminar
  7. Um barco sempre nos leva a viajar e nos imaginamos velejando seja nos pensamentos ou nas estradas da vida. Lindo!
    Não são as coisas belas que marcam nossas vidas, mas pessoas que tem o dom de jamais serem esquecidas... E VOCÊ é essa pessoa! Obrigada pelo carinho no meu aniversário, amei ser lembrada por você e saiba que a chama da minha velinha de aniversário se mantém acesa pela amizade e carinho que sinto por você! Beijinhos no coração.
    Gracita

    ResponderEliminar
  8. Belo poema, Ailime! Felizes daqueles que encontram a companhia certa, para desfrutar palavras inventadas na curta viagem pelo barco da vida! Boa semana, amiga.

    ResponderEliminar
  9. Um poema brilhante Ailime!
    Gostei imenso!
    Um beijo e ótima semana!

    ResponderEliminar
  10. Que textos lindos Ailime!!!Amei!Beijo

    ResponderEliminar
  11. Num barco inventado, assim imaginado, cabem lá todas as palavras.
    E as tuas são belas.
    Excelente poema, gostei.
    Bom resto de semana, querida amiga Ailime.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  12. Bravos uma linda analogia, bjos Luconi

    ResponderEliminar
  13. Poema íntimo, com cala palavra mais aveludada do que a outra, ilustrado por uma igualmente bela imagem...

    Muito bom, Ailime...

    Beijo amigo

    ResponderEliminar
  14. Madrinha.
    Fiz a postagem só estou avisando agora
    espero , que tenha cumprido direitinho a tarefa.
    Agora vou avisar as meninas.
    Uma semana abençoada .
    Beijos da afilhada,
    Evanir

    ResponderEliminar
  15. Boa semana, minha amiga; aguardo o próximo post.

    ResponderEliminar
  16. Se barcos são sonhos, o poema é viagem! Lindo...!

    Beijo

    ResponderEliminar
  17. Vim à procura de mais, mas gostei de reler o teu magnífico poema.
    Tem um bom fim de semana, querida amiga Ailime.
    Beijo.

    ResponderEliminar

«Sou como você me vê.
Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania,
Depende de quando e como você me vê passar».C.L.