sábado, outubro 24, 2009

Já se faz tarde

Já se faz tarde
E a noite avança.

Vou caminhar
Imersa no silêncio
Que irrompeu na
Minha estrada.

Já se faz tarde e
Aprisiono o grito
Que as montanhas
Ainda ecoam
Como vento atroz
Emanado de mim.

Já se faz tarde.
Quero banir este cálice
Que me consome e
Tortura.

Já se faz tarde....
E a noite é muito longa.

Hoje...já se fez tarde!
E a noite aconteceu.
De novo.

Ailime
24.10.09

Imagem: gentileza da Net
Obra: O grito de Munch

sexta-feira, outubro 16, 2009

Orvalho

Enquanto passeio a memória
pelo chão da tua infância
o orvalho da manhã
vai desfiando pérolas
que alastram no meu peito
como máculas profundas

Ailime
(15.10.09
0H49m

segunda-feira, outubro 05, 2009

Hoje é o dia

Hoje é o dia em que as palavras se soltam
para bailarem ao sabor do vento.
Hoje é o dia em que a minha alma canta
o Outono, nas folhas douradas
dos plátanos caídas no chão.
Hoje é o dia em que me propus ser feliz,
porque no teu olhar me pressinto.
Ailime (05-10-09 - 11h)
Imagem obtida na net

quinta-feira, outubro 01, 2009

Sacode as nuvens

Sacode as nuvens que te poisam nos cabelos,
Sacode as aves que te levam o olhar.
Sacode os sonhos mais pesados do que as pedras.

Porque eu cheguei e é tempo de me veres,
Mesmo que os meus gestos te trespassem
De solidão e tu caias em poeira,
Mesmo que a minha voz queime o ar que respiras
E os teus olhos nunca mais possam olhar.

Sophia de Mello Breyner Andresen

Imagem obtida na net